Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Uma Morte Súbita, de J. K. Rowling

por Daniela, em 15.07.16

 DSCF2550.JPG

Este é o primeiro livro para adultos de J. K. Rowling, a autora dos livros que marcaram a minha geração. No entanto, neste livro não vemos nada do que existia no mundo de magia de Harry Potter.

É um estilo literário completamente diferente, em que não existe um personagem principal mas sim uma cidade inteira com iguais quantidades de importância na história. É difícil escrever um livro com diversas histórias paralelas, que acompanha uma enorme diversidade de personagens ao mesmo tempo e que, no final, se encontram e interagem em conjunto. A personalidade de cada uma das personagens tem de ser bastante trabalhada e a sua história individual interessante. E é isto que este livro nos traz.

A história da cidade e dos habitantes de Pagford, que revelam as suas maiores características após a morte do homem que era o elo de ligação entre todos. Cada um mostra o seu lado mais mesquinho, temos acesso aos pensamentos e às visões de todos os personagens, todos e cada um sedentos de poder. Dá para pensar na falta que o mundo tem de pessoas boas e genuínas.

Com tantos personagens, é difícil para o leitor assimilá-los todos ao mesmo tempo, e só com a continuação da leitura isso se verifica. Muitos temas são apresentados ao longo do livro, falando principalmente da política da cidade, mas retratando ainda assuntos como bullying, adultério, consumo de drogas, violação, entre muitos mais.

Achei os adolencentes melhores personagens que os adultos, melhor construídos e com lutas interiores mais interessantes. As descrições das personagens não são tanto dadas pelo narrador, vamo-nos apercebendo delas através dos seus pensamentos e das suas ações.

Não existe um final fechado para todas as personagens, o destino da maioria delas fica em aberto, o que não é necessariamente uma coisa má. Dos personagens que o têm, é sem dúvida um final chocante e que dá que pensar. Gostei, embora não estivesse de todo à espera.

 

Personagens preferidas: Krystal Weedon, Sukhvinder Jawanda

 

Pontuação: 4*

Goodreads - Facebook - Instagram

Autoria e outros dados (tags, etc)

Anjos e Demónios - Dan Brown

por Daniela, em 28.04.15

(Apenas contem revelações sobre o enredo que podem ser encontradas na sinopse)

 

anjos e demónios.jpg

 

 

 

Título: Anjos e Demónios

Autora: Dan Brown

Editora: Bertrand Editora

Edição/Reimpressão: 2009

Nº de Páginas: 588

 

 

 

 

"Uma antiga irmandade secreta

Uma devastadora arma de destruição

Um alvo inatingível"

 

Anjos e Demónios tem como protagonista Robert Langdon, que é chamado para identificar um estranho simbolo marcado a fogo num famoso cientista do CERN brutalmente assassinado. Acabam por descobrir que a marca é de uma antiga irmandade supostamente extinta há séculos e inimiga da Igreja Católica: os Illuminati.

Enquanto isso, no Vaticano decorre o conclave, quando os quatro cardeais preferidos a assumir o título de Papa desaparecem misteriosamente e a guarda suiça é informada de que uma perigosa arma desenvolvida por cientistas do CERN se encontra na cidade com o intuito de a destruir.

Como este pequeno resumo indica, o principal tema do livro é a religião e a sua "guerra" contra a ciência. O ritmo do livro é extremamente empolgante e não se consegue tirar os olhos do papel. A matemática e a física sempre presentes e ligadas na solução dos enígmas ou na interpretação dos símbolos.

Neste livro, Robert Langdon desvenda enígma atrás de enígma de forma rápida e sempre de forma a que o leitor acompanhe a linha de raciocínio. Um livro cheio de aventuras e com um final surpreendente que, pelo menos eu, não esperava.

É um livro de ação, também um pouco polémico e ainda acaba por se tornar um romance. Mais que recomendado!

Goodreads - Facebook - Instagram

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.