Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930







Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, de J.K.Rowling

Quarta-feira, 08.11.17

DSCF3906.JPG

 

 

Este livro foi a minha terceira leitura para o projeto Pottermania.

 

Começamos por ver que Harry não vai aguentar facilmente uma afronta aos seus falecidos pais, o que se comprova quando transforma a tia Marge, irmã do odiado tio Vernon, num insuflável e a deixa a pairar junto ao teto. Harry foge de casa depois deste episódio, deixando várias pessoas preocupadas devido à recente fuga de Sirius Black, "talvez o prisioneiro mais abominável que passou pela fortaleza de Azkaban".

 

São adicionados vários temas novos a este universo que já conhecemos. Vivemos o tormento de estar perto de um Dementor, criaturas que guardam a prisão de feiticeiros e que sugam toda a felicidade do local onde estão, semiando o desespero naqueles que os sentem.

 

Conhecemos também o Mapa do Salteador, que nos mostra a escola inteira com todos os esconderijos e saídas secretas, bem como todos os seus habitantes a moverem-se onde quer que se encontrem.

"Juro solenemente que não vou fazer nada de bom."

 

Vira-Tempos e Animagus. O cruel.

 

Chateamo-nos com o Snape e apoiamos a Hermione.

"Cinco pontos a menos por ser uma sabichona insuportável."

 

Somos introduzidos a personagens que serão cruciais nos próximos livros, como o Sirius, o Lupin ou até mesmo Peter Petigrew.

 

Este livro marca um importante ponto de viragem na saga. O ambiente é mais pesado, a atmosfera torna-se mais negra e arrepiante. Os perigos deixam de aparecer dentro de Hogwarts para passar a encontrar os personagens fora dos limites da escola. As personagens e as amizades entre elas tornam-se mais maduras.

 

São feitas importantes revelações sobre o passado, que nos ajudam a compreender a forma como tudo chegou exatamente onde está neste momento.

 

A escrita e a linguagem deixa de ser tão infantil como nos primeiros volumes, tornando-se mais desenvolvida e cativante.

 

É considerado um dos melhores livros desta série, que me ocupa tanto espaço no coração.

 

 

O filme está muito bom, melhor que os anteriores, que me desculpe o produtor Chris Columbus.

 

Não está completamente fiel ao livro, tem aliás muito mais diferenças que os anteriores. O Monstruoso Livro dos Monstros, que é comprado pela mão do Ron, e não oferecido ao Harry pelo Hagrid no seu anoversário. O Crookshanks aparece em cena, e não sabemos onde a Hermione o encontrou. O Dementor no comboio ataca apenas o Harry, enquanto que no livro ataca a maioria dos estudantes. 

 

E uma das piores diferenças, a Flecha de Fogo. A vassoura topo de gama que o Harry recebe pelo correio. No livro recebe-a a meio do ano letivo, depois de partir a sua antiga e estimada Nimbus 2000, por um remetente anónimo. A vassoura é então analisada ao pormenor para descobrir potenciais feitiços e maldições que possa conter. No filme, esta aparece apenas no final, e o remetente é imediatamente identificado.

 

Livros anteriores:

Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J. K. Rowling

Harry Potter e a Câmara dos Segredos, de J. K. Rowling

 

Goodreads - Facebook - Instagram

Autoria e outros dados (tags, etc)

Harry Potter e a Câmara dos Segredos, de J. K. Rowling

Sexta-feira, 27.10.17

DSCF3888.JPG

A minha segunda leitura para o projeto Pottermania. Mais uma entrada em Hogwarts e neste mundo que cresceu comigo. Foi uma releitura, claro. Reencontrei a Ginny e o pequeno Dobby. Conhecemos a rede de Pó de Floo.

 

Neste segundo livro assistimos às tentativas desastrosas de Dobby para salvar a vida a Harry. Tentativas essas que o fazem por exemplo perdeu o comboio para Hogwarts, uma vez que esbarram contra uma passagem fechada. O carro mágico, enfeitiçado por Mr. Weasley entra em ação e leva-os a voar até Hogwarts e a uma série de castigos e gritadores. Perde todos os seus ossos quando é atingido por uma bludger que sem qualquer razão aparente se foca nele, e quando mais tarde o bonito professor Lockart o tenta ajudar com os seus ossos partidos.

 

"A CÂRMARA DOS SEGREDOS FOI ABERTA.

INIMIGOS DO HERDEIRO, CUIDADO."

 

Estranhas mensagens aparecem nas paredes do castelo, enquanto vários ataques são sofridos pelos feiticeiros que descendem de Muggles. Mas quem está por detrás de todos estes ataques? E por que motivo consegue Harry ouvir uma voz vinda das paredes, uma voz que mais ninguém parece perceber?

Somos introduzidos ao termo "busca-pé", que mais tarde também conhecemos por "cepatorta". Familiarizamo-nos com a linguagem das serpentes, o serpentês e com o termo Sangue de Lama, uma ofensa proferida contra os feiticeiros nascidos no ceio de famílias Muggles.

"Sigam as aranhas", diz-nos o Hagrid. Mas onde isso nos levará?

O segundo ano de Harry parece ser recheado de novas aventuras. O relacionamento de Harry com Ginny intensifica-se, criam-se laços que não poderão ser destruídos.

Mais um ano se passa, os nossos heróis continuam as suas aventuras e unem-se cada vez mais. O universo de Harry Potter prende-nos e não nos larga.

Não há muito mais a dizer. É uma história que marca num todo. Cada livro nos aproxima mais das personagens que o integram. Vamos conhecendo as outras personagens, mas secundárias que o trio principal, mas igualmente importantes.

 

"São as tuas escolhas, Harry, que mostram quem de facto tu és, mais do que as tuas capacidades."

 

O filme é considerado o mais fiel ao livro de todos os de Harry Potter. Eu concordo que está bastante fiel, ressalvando o facto de que vi a versão estendida, pelo que não senti falta por exemplo da cena na Borgin & Burkes, quando o Harry fica escondido no armário a ouvir a conversa entre Lucius e o proprietário da loja.

O contacto entre a Ginny e o Harry poderia ter sido muito mais aprofundado, faltou a cena do postal de S. Valentim por exemplo, mas penso que todos concordam que a Ginny nunca teve o prestígio que merecia nos filmes que foram feitos.

Goodreads - Facebook - Instagram

Autoria e outros dados (tags, etc)

Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J. K. Rowling

Segunda-feira, 09.10.17

DSCF3854.JPG

 

 

Reli o primeiro livro. Pela enésima vez. Este é o primeiro livro de uma história que me marcou, me acompanhou e cresceu comigo.

Conta a história que já todos conhecem: Harry Potter, um jovem de 11 anos, recebe a sua carta para entrar na melhor escola de magia e feitiçaria - Hogwarts - e viver num mundo do qual nunca tinha ouvido falar. Os melhores anos da sua vida começam aqui, quando se afasta dos Dursley, os tios com quem vive e que parecem nutrir um ódio genuíno por ele. Nunca lhe contaram nada acerca da vida dos seus pais, que eram ambos feiticeiros, dizendo-lhe apenas que tinham morrido num acidente de automóvel.

Este ano, Harry Potter descobre finalmente o significado e os valores das palavras amizade e família, enquanto vive experiências únicas na companhia dos seus novos amigos - Ron Weasley e Hermione Granger.

Neste primeiro volume são-nos introduzidas as personagens principais e os locais mágicos mais frequentados.

Sou uma Potterhead, assumo, e tinha de voltar a este mundo. Voltarei mais vezes, claro. Para a próxima vez quero ler em inglês, sem traduções.

J. K. Rowling conseguiu criar um mundo onde entramos e facilmente nos perdemos. Não parece possível ter sido rejeitada tantas vezes. Tem uma capacidade enorme de transmitir para a sua escrita valores e sentimentos, através desta história que tanto encanta como ensina.

Foi maravilhoso voltar a entrar neste mundo e reencontrar-me com as personagens que me são tão familiares.

O primeiro livro é apenas o início e não é o melhor, mas um livro que tanto significado tem para mim e que tanto me marcou não podia ter menos que as cinco estrelas, mesmo tendo passado todos estes anos. É um livro introdutório, que nos dá a conhecer um universo diferente do nosso e que nunca mais iremos deixar. Tanto tempo esperei pela minha carta que nunca chegou.

Em questões de tradução, não está nada boa. Li este mesmo exemplar tantas vezes mas só agora, em adulta, dei por esta falha. Acredito que muito foi perdido do original para este. É também por isso que quero reler em inglês.

 

 

O filme está razoavelmente fiel ao livro. Existem várias cenas diferentes, mas nenhuma delas muda o curso dos acontecimentos. Os atores eram tão novos e isso transparece imenso. Continuo a gostar, claro. Irei sempre amar este mundo.

Goodreads - Facebook - Instagram

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sou o Número Quatro, de Pittacus Lore

Segunda-feira, 17.07.17

DSCF3502.JPG

 

 

Sou o Número Quatro é o primeiro livro de uma série entitulada Os Legados de Lorien, escrita por Pittacus Lore, um pseudónio dos escritores americanos Jobie Hughes e James Frey.

É um livro de ação e ficção científica, que fala sobre um tema que nunca tinha lido: extra-terrestres. Esteve no top de vendas dos EUA durante 18 semanas seguidas e foi a base para um filme que não chegou a ter muito sucesso.

John Smith é o número quatro dos nove lorianos que escaparam do seu planeta - Lorien - quando este se encontrava sob o ataque do vizinho Magadore. Estes nove jovens, juntamente com os seus guardiãos, refugiaram-se no planeta Terra, e estão protegidos por um encantamente que apenas permite que os mogadorianos os eliminem segundo a ordem estabelecida. Três deles já foram descobertos e neste livro conhecemos a perspetiva daquele que é o número quatro.

É um livro cheio de ação e reviravoltas e ainda com um espaço destinado ao amor jovem. A escrita é clara e direta, lê-se muito bem e esperamos sempre pelo que vem a seguir. O final é aberto claro, a convidar a leitura do segundo volume.

 

Adaptação cinematográfica

Em relação ao filme, vi-o algum tempo depois de ler o livro. A ação desenrola-se muito rapidamente, talvez até demais, e muitas das cenas do livro foram condensadas naquela hora e meia. Não se percebe bem de onde surgem os acontecimentos e, ao contrário do livro, não temos nada que nos explique o que vai acontecendo. Não gostei tanto.

Goodreads - Facebook - Instagram

Autoria e outros dados (tags, etc)

Elfanos - O Legado, de Dud@

Quarta-feira, 03.05.17

DSCF3066.JPG

 

 

Terminei há uns dias a leitura de Elfanos e posso dizer que fiquei agradavelmente surpreendida. Um livro de fantasia que, como indica o título, nos traz um reino de elfos, deixando ainda espaço para outras criaturas místicas.

É um livro que se lê muito bem, tem uma escrita um pouco jovem mas ainda assim bastante cuidada e de fácil leitura. A autora é também ainda muito nova e irá certamente desenvolver outros bons livros.

Elfanos conta-nos a história de cinco amigos que mantêm uma relação muito forte entre eles e que se protegem uns aos outros contra tudo e todos. O reino de Elfanos é-nos apresentado quando uma das protagonistas é contactada por um elfo, descobrindo ela própria pertencer a este meio. É então que os cinco jovens partem numa aventura que promete ser bastante interessante.

Neste primeiro livro a história centra-se ainda muito nas relações existentes entre as diversas personagens e são-nos todas muito bem apresentadas; ficamos a conhecer vários aspetos das suas vidas e vários detalhes dos seus passados. Adorei as partes em que nos são revelados detalhes sobre a vida e hábitos dos elfos e deste reino que deixou ainda tanto por desvendar. Espero que o próximo volume traga consigo mais deste universo élfico que nos foi apresentado.

O final foi abrupto, terminou no meio da ação e deixou uma grande espetativa em relação ao próximo volume.

 

Goodreads - Facebook Instagram

Goodreads - Facebook - Instagram

Autoria e outros dados (tags, etc)





Leituras do Momento:






Opiniões em Breve: