Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mente Literária

"A leitura é como uma droga que confere um adormecimento agradável aos contornos da crueldade da vida." Kertész , Imre.

Mente Literária

"A leitura é como uma droga que confere um adormecimento agradável aos contornos da crueldade da vida." Kertész , Imre.

Crítica: Beleza Assassina - Chelsea Cain

Beleza Assassina.JPG

 

 

 

 

Título: Beleza Assassina

Autor: Chelsea Cain

Editora: Porto Editora

1ª Edição: 2009

Nº de Páginas: 360

 

 

 

Sinopse: “Após dez anos no encalço de Gretchen Lowell, o detective Archie Sheridan é raptado e torturado durante dez dias pela lindíssima serial killer. Mas, no final, ela decide, misteriosamente, libertá-lo e entregar-se às autoridades.
Gretchen é condenada a prisão perpétua, enquanto Archie é condenado a outro tipo de prisão: viciado em vários medicamentos, não é capaz de regressar à sua antiga vida e não consegue esquecer aqueles dez dias de tortura... nem Gretchen.
Quando outro assassino começa a raptar e assassinar raparigas adolescentes de Portland, Archie é convidado a voltar ao activo e a liderar a equipa que vai investigar os crimes recentes.
A nova investigação dará início a um jogo mortal entre Archie, o novo assassino e... Gretchen Lowell.”

 

Opinião: Tal como diz na capa, é sem dúvida "um thriller arrepiante" com várias passagens capazes de impressionar os leitores mais sensíveis, e que nos fazem pensar se há algum limite para a obscuridade da mente humana.

Archie é o detetive que investigou, há dois anos atrás, o caso apelidado de "Beleza Assassina". Durante a sua investigação, este é raptado e torturado por Gretchen, uma assassina fria e calculista que, durante dez dias, utiliza as técnicas mais violentas e humilhantes imagináveis, com o objetivo de no final e depois de muito tormento o matar. No entanto, ela acaba por decidir salvar-lhe a vida e entregar-se às autoridades.

Gretchen é a melhor personagem do livro. Uma mulher muito atraente e muito perigosa, com tudo o que é preciso para a sua personagem. É fria, cruel e sádica. Consegue levar as suas vítimas a ultrapassar todos os limites só para a agradar.

Archie também nos fascina com a sua luta e com os seus vícios. Muito perspicaz, vive no entanto numa prisão psicológica, entre a vida antes e depois de Gretchen.

A relação entre estes dois personagens é o que nos agarra ao livro do princípio ao fim. Entre Archie e Gretchen desenvolve-se uma relação perturbada e doentia, de cumplicidade e dependência submissa.

O livro desenvolve-se em duas fases: por um lado temos o caso de um raptor, assassino e violador, que aterroriza atualmente a cidade. Este, na minha opinião, com um enredo muito mais frágil, sem qualquer termo de comparação com a relação que descrevi anteriormente. 

Por outro lado, vamos tendo uma visão do que aconteceu há dois anos atrás, através de flash-backs que nos vão desvendando a complexa relação entre Archie e Gretchen.

Gostei do livro, um bom policial, mas que no final deixa várias coisas em aberto. Chelsea Cain já escreveu sequelas deste livro, mas (penso eu) nenhuma delas foi editada em Portugal.

Goodreads - Facebook - Instagram