Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mente Literária

"A leitura é como uma droga que confere um adormecimento agradável aos contornos da crueldade da vida." Kertész , Imre.

Mente Literária

"A leitura é como uma droga que confere um adormecimento agradável aos contornos da crueldade da vida." Kertész , Imre.

Crítica: Anjos e Demónios - Dan Brown

(Apenas contem revelações sobre o enredo que podem ser encontradas na sinopse)

 

anjos e demónios.jpg

 

 

 

Título: Anjos e Demónios

Autora: Dan Brown

Editora: Bertrand Editora

Edição/Reimpressão: 2009

Nº de Páginas: 588

 

 

 

 

"Uma antiga irmandade secreta

Uma devastadora arma de destruição

Um alvo inatingível"

 

Anjos e Demónios tem como protagonista Robert Langdon, que é chamado para identificar um estranho simbolo marcado a fogo num famoso cientista do CERN brutalmente assassinado. Acabam por descobrir que a marca é de uma antiga irmandade supostamente extinta há séculos e inimiga da Igreja Católica: os Illuminati.

Enquanto isso, no Vaticano decorre o conclave, quando os quatro cardeais preferidos a assumir o título de Papa desaparecem misteriosamente e a guarda suiça é informada de que uma perigosa arma desenvolvida por cientistas do CERN se encontra na cidade com o intuito de a destruir.

Como este pequeno resumo indica, o principal tema do livro é a religião e a sua "guerra" contra a ciência. O ritmo do livro é extremamente empolgante e não se consegue tirar os olhos do papel. A matemática e a física sempre presentes e ligadas na solução dos enígmas ou na interpretação dos símbolos.

Neste livro, Robert Langdon desvenda enígma atrás de enígma de forma rápida e sempre de forma a que o leitor acompanhe a linha de raciocínio. Um livro cheio de aventuras e com um final surpreendente que, pelo menos eu, não esperava.

É um livro de ação, também um pouco polémico e ainda acaba por se tornar um romance. Mais que recomendado!

Goodreads - Facebook - Instagram

2 comentários

Comentar post